• Horário

    8:00 - 15:00

  • Whatsapp

    +244 928 100 688

Ordem dos Enfermeiros de Angola lança Manuais de Enfermagem

Ordem dos Enfermeiros de Angola lança Manuais de Enfermagem

18 Fevereiro de 2020 

Luanda -Três manuais de enfermagem denominado ”Sistematização, Processo e Anotação de Enfermagem” foram lançados, nesta terça-feira, em Luanda, pela Ordem dos Enfermeiros (ORDENFA), com a finalidade de ajudar a gerir a assistência do sector a nível das unidades sanitárias.

Bastonário da ORDENFA, Prof. MSc. Paulo Luvualo, prestando declarações a imprensa nacional sobre o acto de lançamento dos manuais de enfermagem.

 

Em declarações à imprensa, o Bastonário da Ordem dos Enfermeiros, Paulo Luvualo, informou que a publicação dos manuais enquadra-se no projecto “ Eu Sou Enfermeiro”.

Segundo o bastonário, este guia  surge em função da constatação de um défice no diagnóstico dos pacientes e registo das ocorrências e alterações que ocorrem.

Este guia elaborado vai coadjuvar ainda na formação dos futuros profissionais de enfermagem, bem como alinhar as informações do estado do paciente nas últimas 24 horas.

“Este trabalho teve uma pertinência de produção ligada a gestão de cuidados,  permitindo ao profissional de enfermagem   acompanhar  a evolução do estado do  doente durante o seu tratamento e enriquecer o conhecimento dos formandos”, reforçou.

Com estes livros, disse,  o médico terá as informações sobre o doente, facilitando o seu trabalho no que toca ao diagnóstico.

O presente guia é resultado de pesquisas e de debates com profissionais de distintos serviços de saúde e das discussões e reflexos do grupo de trabalho sobre a sistematização da assistência em enfermagem, sobre a aplicação e o aprimoramento dessa ferramenta a ser introduzido no quotidiano profissional.

A meta é suscitar a reflexão sobre os elementos que contribuem para a organização da assistência de enfermagem e facilitar o acesso a todo o conteúdo da assistência as discussões sobre a sistematização da assistência de enfermagem (SAE).

Relativamente ao COVID-19, o especialista referiu o país não apresenta condições de biossegurança para responder, caso surja algum caso desta doença.

“As unidades não estão preparadas para atender algum caso deste, por falta de condições, pois nos hospitais os nossos técnicos de saúde não utilizam se quer o material de segurança como luvas, mascaras e vestuário adequado para prevenção desta pandemia “, finalizou.