• Horário

    8:00 - 15:00

  • Whatsapp

    +244 928 100 688

REELEITO BASTONÁRIO DA ORDEM DOS ENFERMEIROS DE ANGOLA

REELEITO BASTONÁRIO DA ORDEM DOS ENFERMEIROS DE ANGOLA

Prof. MSc. Paulo Luvualo, reeleito para mais um mandato de 4 anos (2019-2023), a frente da classe de Enfermagem de Angola

Cuito – O bastonário da Ordem dos Enfermeiros de Angola (ORDENFA), Paulo Luvualo, foi reeleito com 89 porcento de votos a favor.

A reeleição aconteceu durante a segunda Assembleia Nacional de Balanço e Renovação de mandatos dos órgãos sociais da Direcção Nacional, que contou com a participação de 332 delegados dos 632 previstos, aconteceu, na  quinta-feira, 28 de Novembro de 2019,  na cidade do Cuito, província do Bié.

Foram ainda apurados 3,3 por cento de votos contra, 0,3 por cento abstenções e 7,2 votos nulos.

Paulo Luvualo será coadjuvado por Ana Maria Pascoal, como vice-presidente, Eduardo Elambo Caiangula, secretário-geral, Makiesse Sebastião, secretária-geral adjunto, Mário Lutango, secretário para as finanças e património, Matilde Mazamba, secretária para ética e deontologia profissional, António Agostinho Sérgio, secretario para comunicação Social e Publicações.

Paulo Luvualo prometeu continuar a trabalhar para a aproximação da Ordem dos Enfermeiros e aos cidadãos, colocar cada vez mais próxima das outras organizações e do Ministério da Saúde, garantir a segurança e qualidade dos cuidados, através da efectiva regulação do exercício profissional.

Já o vice-governador do Bié para o Sector Político, Social e Económico, António Manuel, enalteceu o trabalho da ORDENFA na defesa dos interesses dos profissionais da saúde, tendo apelado prudência, sobretudo, aplicação da ética e deontologia profissional no exercício da profissão.

Para o responsável, o Estado angolano considera a saúde e bem-estar das populações como elementos fundamental para o desenvolvimento político, social e económico da humanidade.

Criada a 28 de Novembro de 2002, a Ordem dos Enfermeiros actua na promoção, protecção, recuperação da saúde e reabilitação das pessoas, respeitando os preceitos ético-legais, e procura desenvolver esforços para afirmação e melhoria das condições de vida dos profissionais desta área vital da sociedade.

O país conta actualmente com mais de 40 mil enfermeiros de vários níveis. Este ano, a Ordem recebeu e avaliou 45 mil processos de enfermeiros, formados entre 1975 e 2017.